O aluno egresso do Depto. de Teologia da PUC-Rio, Ricardo Gonçalves Castro, recebeu o VII Prêmio Soter-Paulinas de Teses, no 32º Congresso Internacional da SOTER, na PUC Minas, no dia 11 de julho. A tese “Redimindo Masculinidades: Representações e significados de masculinidades e violência na perspectiva de uma teologia pastoral Amazônica”, defendida em 2017, foi orientada pelo Prof. Pe. Abimar Oliveira de Moraes. O trabalho de Ricardo Castro foi realizado com apoio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Brasil (CAPES). 

A tese analisa a relação entre as masculinidades, violência e religiosidade a partir do contexto Amazônico. Esta se volta para os significados das masculinidades encarnadas nas representações elaboradas dentro dos contextos interculturais e históricos da religiosidade amazônica. Masculinidades, no plural, quer expressar a diversidade de expressões que se constrói tanto na vida das pessoas, como nas expressões culturais e religiosas. O problema central desta pesquisa é a relação entre os vários significados de masculinidades presentes nas representações religiosas e teológicas, como causa de violência ou possibilidade de redenção. A hegemonia de uma masculinidade construída a partir de estruturas coloniais violentas, princípios racionais e teológicos patriarcais, ao ser desconstruída, abre a possibilidade de melhor compreender e enriquecer a vivência humana nos seus modos plurais, no contexto Amazônico.

Além da premiação, a pesquisa será publicada pela Editora Paulinas, que é patrocinadora do congresso. 

32º Congresso Internacional da SOTER

O Congresso Internacional da Sociedade de Teologia e Ciências da Religião (SOTER) é um dos mais tradicionais eventos da Área de Ciências da Religião e Teologia no país, reunindo teólogos, cientistas da Religião, estudantes de pós-graduação e pesquisadores de áreas afins, em âmbito nacional e internacional. Buscando atentar-se às urgências da sociedade identificadas em outros congressos, o tema tratado esse ano foi “Decolonialidade e práticas emancipatórias: Novas perspectivas para a Área de Ciências da Religião e Teologia”.